15 de junho de 2018

REENCONTRO



"a saudade
é um filme sem cor
que meu coração quer ver colorido"
Zeca Baleiro.
O REENCONTRO
Para Malu (Maria Luiza Amaral), minha filha.
Sal do mar
Sal da vida
Sal do dia
Sal o sal
A água não é igual ao sal
Porque o sal é milagre meu em ti
e o milagre de ti em mim.
Sal da chegada
Sal da partida
Salgado este poema
Nas lágrimas que já derramei
Nas madrugas que não dormi
Na saudade que atravessa a alma
Seu amor amor meu amor verdadeiro
Brava, sapeca, esperta, inteligente
Sua risada e sua presença
Que invade apenas saudade.
Vida, provação, premissa de lapidação
Purificação alem purificação
Meu ser até morreu duas vezes sem ti
E ainda vive na vida a vida que tenho esperança
De apenas abraçar-te, beijar-te.
Lembro do Bilhete de Felicidade
Que me destes antes de nascer num sonho
Você tinha esses cabelos cacheados também
Bem antes de você nascer você me apareceu no sonho.
Comecei o poema pra livrar-me da saudade
Mas agora sei que o reencontro é a paz
Que tenho e anseio.
Porque o pai te ama Malu.

14/06/2018

13 de junho de 2018

RICARDO PIGLIA



"...-Preciso ir - ela disse.
-Como ele sabia que você está aqui?
-Eu avisei que estaria com você -respondeu. -Quero que a menina sempre saiba onde estou...
-As pessoas fracas expõem a fraqueza dos outros -eu disse.
Replicou com uma frase seca, que vou repetir. Tinha o infalível instinto das mulheres inteligentes para desmascarar a farsa masculina. Penso nisso agora. Naquele momento fiquei sem ação. Não quis lhe perguntar mais nada, não queria que se justificasse. 
-É uma pena falei"....

Ricardo Piglia. 

In:  ANOS DE FORMAÇÃO 
OS DIÁRIOS DE EMILIO RENZI
Editora: todavia
Tradução: Sérgio Molina. 


28 de maio de 2018

28 de março de 2018

Na descida para casa
Entre o louvor e o profano
Na rua Padre Anchieta
Buscam a salvação
Entre a igreja e o boteco
Na descida
Há uma diferença  no olhar
Daqueles que entram em êxtase no culto e aqueles
Que entram em êxtase no copo...
Agora, logo agora escutando B.B. King
Olho  a direita da cama
Onde está o livro de Cruz e Souza
E esqueço a palavra que iria colocar no poema
Não  lembro, parece com perene
Mas logo agora encosto o braço no livro de
Cruz e Souza e vejo que a noite
Me surpreende com uma lua que comungo
Logo agora sem muitas paixões
Silêncio é palavra leve,
além estrelas
Meu pensamento é só Stellar.
Cássio Amaral.
28/03/2018

7 de outubro de 2017

truque de desembaraço
nó de lá nó de cá:
-desapego-