29 de setembro de 2007

A padaria da broa


Ela era alta, morena bonita e charmosa.
Seu nome era Érica. Seu marido era dono da padaria e falecera há dois meses.
Com o tempo ficou encantada com um rapaz que passava todos os
dias na porta da padaria.
Ele um dia entra e compra pão.
Ela fica toda vibrante e o cumprimenta.
Ele respondeu o cumprimento e conversam.
Pedro foi embora e viu o brilho nos olhos dela.
No outro dia ele foi comprar o pão.
Ela diz bom dia. Ele responde com um olá.
Ela pergunta:
_Você quer conhecer meu forno?
_Sim, onde fica?
Ela indica uma porta, os dois entram e permanecem ali por um tempo.
Ele depois do êxtase ficou lembrando na rua da broa dela que era uma delícia.

7 comentários:

jorge mendes disse...

e é assim q se acendem as fornalhas, né? valeu a visita lá no fim. forte abraço

Analuka disse...

Caro Cássio, ao que parece, as palavras fazem arder as fantasias, por aqui!... Abraços alados.

Loba disse...

como diz o jorge, é assim que se acendem as fornalhas! de olhares, broas e apetite! rs...
Beijão Cassinho!

Fabrício Brandão disse...

Cássio, meu camarada, por aqui, as gastronomias são uma só. Bela sacada!

Abraços

Anônimo disse...

Obrigado por intiresnuyu iformatsiyu

Anônimo disse...

http://site.ru - [url=http://site.ru]site[/url] site
site

Anônimo disse...

http://site.ru - [url=http://site.ru]site[/url] site
site