26 de outubro de 2007

Bobo empregando


Tela de Basquiat


Acordei sentindo frio e logo fui acariciado pelo morno cobertor distante, onde fiquei consolado pelo destino que contraí por direito, e amedrontei assombrado pelo ócio que me apresentaram de bandeja. Foi aí que me revoltei aliciado pela tele/visão de cegos intelectuais com bobagens em braile. Vejo e ouço, nela, sonhos icásticos contidos no amor vendido pelas prostitutas promocionais num visual que pouco acrescentou e muito cresceu.
Hoje arranjei um emprego no cargo de bobo da corte e agora sigo conduzindo um sorriso forçado.
Ricardo Lima

4 comentários:

Priscila Manhães disse...

Vermelhou os blog... :)))
Beijão

Priscila Manhães disse...

Epa! Tá faltando um "s":
Vermelhou os blogs!

:)

Bisou

Priscila Manhães disse...

Cassão,

convite pra você lá no blog. :)
Pardon.

Abraço.

luciano disse...

" Bobo Empregando" retrata a condição moldada pela sociedade capitalista a que o jovem brasileiro é submetido. Vamos em busca de um salário para sustentar um sonho o qual já nasce derrotado, distorcido. Eis porque somos o bobo do crescimento, de um país imaginário..." luciano gazel