16 de outubro de 2007

HAICÃES MADRUGAIS

I
cachorros latem
na madrugada abissal
enquanto pleonasmos explodem o imprevisto

II

cães caminham sem donos
onde o latido é a face da ironia
que a madrugada incita nos monstros de Blake

III

Pink Floyd na devoção da noite
“HEY YOU”
Vira-latas uivam o inimaginável



16/10/07

2 comentários:

Eduardo Ribeiro disse...

insano!
Como voCê amigo.
Como nós.
Como todos deveriam ser.
The show must go on!

Grande abraço, para um grande poeta.

Leila Lopes disse...

Os sons da noite misturam-se aos sons dos cães, provocam abismos em almas que vagam na madrugada.
Beijos noturnos.