29 de dezembro de 2007




Em 2001 estava na Rádio Scalla Fm.
Ia lá pra ler uns poemas nos programas Járdins Elétricos que Giovani Metal
apresentava e Free Rock que Marcão Maneira apresentava.
Já tinha acabado o Jardins Elétricos e tomávamos uma coca com run.
O telefone toca e alguém diz a Marcão Maneira que Cassia Eller tinha morrido.
Um grito se fez na rádio, um rombo, um lance louco bateu. Marcão não agreditou,
pois estávamos em Araxá uma cidade provinciana, onde o que rola é o breganejo
e talvez um gaiato estaria passando uma pilhéria, uma piada, um trote pra acabar
com nosso sábado de rock, de poesia e de coca com run.
E, outra vez o fone toca dizendo que Cassia Eller tinha morrido.
Marcão não agreditava, nem eu, nem ninguém na rádio.
Marcão ligou em sua casa e confirmou com seu irmão a informação.
Sim, tinha morrido. E aos nos dizer lágrimas correndo por todos os rostos.
Não aguentei, não aguentei chorei pra caramba, putz eu tinha perdido o último
show dela em Uberlândia, tinha grana e na hora não rolou de ir, falhei com Eller,
falhei comigo, com a música de Eller, não rolou , não fui ao show.
Hoje seis anos depois lembro dela e meus olhos estão úmidos, a saudade bate
e lágrimas ainda chovem de leve na minha face.
A voz de Cassia Eller, a atitude de Eller, a arte engolindo a vida.


Para Cassia Eller

voz talhada para o blues
no imprevisto da noite
alma vulcânica e stellar
vida que marcou favos
de cogumelos plutônicos
tudo que a lágrima dispersou
xará que rasgava as madrugadas
que brincava com o gato preto de Poe
chicote de Lou Reed
no samba da contramão
socorro
no passeio sentado só
a saudade frívola derramante
de sangue
me traz sua imagem
por enquanto.

Cássio Amaral.

2 comentários:

SAMANTHA ABREU disse...

essa deixou, mesmo, muita saudade.
e não vai ter igual, nunca mais.
Ficou lá, no hall, com Cazuza, Gonzaguinha, Elis, Cartola...

lá do outro lado deve ter uma festa mais nimada que a nossa, por aqui.

adorei!
beijos.

sandra camurça disse...

Oi Cássio,

tou de volta da praia. mergulhei tanto no mar que acho que ainda tou cheirando à maresia, rsrs. e teu blogue continua cheio de poesia, hein, moço?

adorava Cássia Eller, tb senti muito por sua morte, como a de Cazuza e outros/as...

grata pelos comentários no refúgio

beijos e felicidades!