8 de fevereiro de 2008

Z DA QUESTÃO

transformação ação de transpor montanhas asas distraídas sabem das portas e saídas
voam em liberdade além do que alguém possa captar ou entender meu VÔO DE LIBERDADE
asas distraídas sempre sabem das rotas e saídas coroar o imprevisto com olhos de lince
saber as batalhas e as fraudes além do improviso dançar a vitória e derrota ri e ri de si como se ri fosse e é o que há de melhor cagando os pecados ver o re-
verso digo e finco meu pau no cume do absurdo além de tudo sem ser visto como sou sei sou o i ching pode me absolver tao te king lao tsé sensei diz o que diz miss foi-se a foice é o crime do abandolerear a além há abandas bandas tocam bandejas o abandono não existe é antes grade da insegurança de quem vai falanges canibal rimam no sol lá é meu lar e refaço o traço do risco que arrisco fakir cortou coração de vênus no mar além do m.

2 comentários:

Walmir disse...

pois estes fluxos de pensamento já derão e continuam dando o que falar, hein?
paz e bom humor, sempre, mano blogueiro.
walmir
http://walmir.carvalho.zip.net

SAMANTHA ABREU disse...

uau!
acabei sem fôlego...
e com um suspiro longo...


adorei.
Beijos!