15 de agosto de 2008

IN FORMAÇÃO

Desenho da minha Sobrinha Ana Carolina


Sei que poesia é o cocô mole das imperfeições
abrupta da nossa insignificância
enrabar as palavras
e rasgar o cu do verbo
fetiche de pompoarismo das metonímias
tesão intenso dos pleonasmos de devaneios errantes
que se dilaceram
quando de cima do céu vejo
tudo além de tudo
e nada além de nada
risco faísca corrosão
bambolê no parangolê
lê sê vê arremesso
nada além de nada
tudo além de tudo
tudo no nada
nada no tudo
Fra g Mento
M E N T E
Ce rebral
Chapa chapada porre verbal
Cogumelo de Elfo
Portas da Percepção
Morrison rindo na Aurora Boreal
Alice no País das Maravilhas
se diverte de cabeça baixo
balançanda pela lua que benze a noite regada
de estilhaços.

14/08/2008

Um comentário:

Nanda Assis. disse...

nossa cássio, que demais isso hein??
cogumelo de eufo, adorei...
e a comparação com sexo de uma maneira, digamos rude, foi perfeito. legal demias hein.
bjosss...