11 de novembro de 2008


o preço do homem
é vender
o que não tem preço

2 comentários:

yehuda disse...

ótimo, bem bolado
abraço

jorge vicente disse...

o preço da poesia
é caminhar no eterno
e no mundo

(ao lado dos bichos)

jorge vicente