29 de novembro de 2008

ZAÚNS TARADÓIDES

I



bocas batem asas

para o juízo final

caio no seu umbigo

tudo molhado.

ela abre as pernas

e acaricia o coração do pênis

taichichuan de corpos desvairados

vai e vem...

um surto surta no cama sutra

clamando tântrico uma oração

a sua rosa me morde

sem piedade.


II



bocas voam ao delírio

você abre as pernas

e massageia o coração do pênis

rítmo, gula e química

som transgressor

queum tom à vida

flor carnívora

que come o talo sem perdão

e sente o prazer

massagear o êxtase


III




A sua flor comendo meu falo

Vulva volúpia vulcão

Oração que oro e consagro

Pele rele febre

Mel melado massagem

Incenso gula lua vinho

Flor que afago e me ataca

Propondo derreter a madrugada

Desejo que desperta

Velas ritual química alquimia

Pompoarismo prazer magia

Desabrochar de êxtase

Despertando o prazer

Que o amor absolve

No OOOM MMM que o corpo sente.



IV



a rosa abre pétala

perfume de jasmim

delírio surto sutra

falo esporro serafim


V


Falo no seu ensaio

Perereca abre a boca

E engole até o talo


VI


Sorriso no pompoarismo

Rítmo gula e arte

Perereca pele e falo

VII



Se falo

A perereca abre a boca

E engole até o talo


3 comentários:

yehuda disse...

interessante orgasmo de palavras
no inicio tempestade furacão delirio no final calmo sereno ato canibal
abraço

jorge vicente disse...

um orgasmo de palavras - sempre
sempre o falo das palavras

um abraço forte
jorge

J.F. de Souza disse...

CARÁLEO!!!

ESSE TÁ FODA!!! PURA FODA!!!

Excelente, esse! Magnífico! =)

1[]!