26 de fevereiro de 2009

DITO

falo todas as línguas do infalável
falo o falo das minhas falas
digo o improviso
o que é risco e o que é pulo do abismo
falo aquilo que falo
e falo e falo Baby
você está distante sua araucária
não vê que falei e disse
mas o trem é sempre dos mineiros
aquilo que digo é o falo do falível
além de falas já feitas em estrelas
não conhecidas
quando vejo tudo que é meu
só que é acetinado de céu e de seu...


4 comentários:

jorge vicente disse...

grande amigo, esta semana tenho estado um pouco afastado. estive doente na segunda e nos outros dias cheio de trabalho.

mas espero estar de volta amanhã ou segunda

um grande abraço de luz enorme!!!!!
jorge

jorge vicente disse...

falo o secreto falo
da fala entre os dedos

falo do corpo
da pele
do joelho
da dança entre o umbigo
e a espinal dos cabelos.

falo entre o fogo que
(a)faga o ventre das mães.

falo numa fala sem vírgulas e certezas.
fala da língua e da benzedura
entre as palavras.

falo da puta
do rapaz novo que escreve versos
da luz que entorna
e que fica.

fala no sentido ascendente do verso
no sentido descendente do corpo

engulo
sorvo
espalho poemas pelas arcadas do cinema

pulo
grito
digo:

falo na voz do profeta das estrelas.

jorge vicente

BAR DO BARDO disse...

gostei dos fff

e do texto

yehuda disse...

bom pra dedeu
uso seu talento que Deus te deu
não se econda de trás de outro poetas
você é tão bom quanto...
abraço