6 de fevereiro de 2009

DOSSIÊ LISA ALVES

Lisa é estudante de jornalismo.
É uma poeta inteligente, tem leitura, além disso explora objetos onde
tenta criticar e contextualizar um mundo que pode ainda ser melhor.
Sua poesia reflete a alma que pede justiça e atenção a questões que
gritam no mundo.
É membro do movimento Potencialista. Acredita que a arte é o verdadeiro
despertar da existência.
Colaborou com sua escrita em projetos teatrais - (Barão da Ralé-2004)
O Templo do Deus Capital - 2005), políticos (Manifestro Potencialista- 2001)
e literários ( Projeto 48 horas, Metamorfose de Monstros - em fase de
publicação )
Tem poemas e textos escritos em vários sites e blogues.
Dois poemas aí de Lisa Alves:
INUMANOS
Sinto a falta do espírito nômade que atravessa todos os territórios habitados.
Homens e mulheres são territórios não explorados por nossa geografia-desumana.
Ontem, mais uma terra foi conquistada. Mas quem conquistará o homem?
Ontem, um jovem viciado em ópio resolveu se viciar também em guerra.
Hoje, assisti a TV que os Imperialistas tomaram mais uma terra.
Hoje todas as nações se calaram quando um presidente anunciou à fome.
Amanhã, comeremos e beberemos da carne e sangue de todos os miseráveis.
Amanhã, não acordaremos, seremos o maior palco de explosões nucleares.
ADMIRÁVEIS BESTAS
É falha toda a ação humana calculada.
Nem os passos calculados nos dirigem ao destino esperado.
Não somos guias e muito menos placas que direcionam ao caminho certo.
Não somos do bem e nem do mal e estamos longe do além disso.
Não podemos dividir nosso espaço com um ser idêntico, pois
dois egos não ocupam o mesmo lugar no espaço.
Não possuímos espaço, a verdade é que sempre invadimos um
e depois somos cruelmente expulsos do paraíso.
Não sabemos o que é amor, somos egoístas demais para conhecê-lo.
Ninguém é próximo de ninguém, cada ser é uma ilha inabitada.
Somos uma fera primitiva que a cada geração perde um pouco mais
do seu instinto.
Não somos felizes e nem infelizes, somos pequenos demais para
entender a felicidade.
Vivemos do que éramos e do que seremos e ignoramos o que somos.
Pedimos ajuda, mas na verdade desejamos nos destruir, nos consumir
e nos devorar.
Somos as bestas soltas dentro de um cativeiro e mal sabemos de nossa
condição.
LISA ALVES
( Extraído da Coletânea TRILHAS -2007 organizado por Euza Procópio
Noronha (Loba) Coletânea de autores blogueiros - )
O blog da Lisa está linkado aí ao lado, ou no:
E tem outros blogues como:

4 comentários:

Dani Ribeiro disse...

vou gostar de passear aqui.

abraços.

Dani Ribeiro disse...

oi querido, voltei para te responder... obrigada pela gentileza da visita e recado, fiquei feliz de voce ter visto minha produção e o blog (voce viu esse e o outro ou só esse?).

Só confesso não ter entendido a parte do "egocentro"... desculpe.

Meu email é o meninachora@hotmail.com

Ao som do silencio deixo uma otima madrugada como desejo!

p.s.: amo haicais... meu "leminski" preferido são eles.

Serjones disse...

legal essa ideia de dossiês.

Moacy Cirne disse...

Movimento Potencialista? Graças a você, é a pri eira vez que ouço falar nele. E como fazia tempo que não aparecia por aqui, vou dafr uma geral nas últimas postagens dxe seu blogue.

Um a braço.