13 de março de 2009

DOSSIÊ FEJONES




Jefferson Fejones. Ou só Fejones.

Amigo que fiz no Rio em 2007.

Na ocasião estávamos eu, Ricardo Wagner,

Rafael Nolli e Kedo fazendo um intercâmbio

poético e cultural. Estada única, mágica e bem

bacana, conhecemos Elaine Lemos, Marla, Leandro

Jardim, Rodrigo de Souza Leão e Tavinho Paes.

Entrevistamos os dois últimos.Pena que não

gravamos em vídeo.

Numa noite de sábado saímos.

Atravessamos os Arcos da Lapa, e como

boêmios errantes tomamos cervejas em alguns

bares, começamos me lembro num chamado

Arco-Íris. Depois mais alguns. Ficamos amigos.

Ano passado em janeiro estive em São Paulo e revi

Fejones e Elaine Lemos, amigos queridos.

Aí embaixo alguns poemas de Fejones.



Fogos de artifício


Não uso meus poemas

como torpedo ou míssil

Não ouso fazer isso

Meus poemas tem sua força

mas não são letais

Meus poemas não são dirigidos

São desnorteados

Sem alvo definido

Ainda assim, são abrangentes

Atingem a tudo que estiver por perto

Meus poemas são pura pirotecnia

Show de fogos de artifício

Daqueles que se soltam

aos montes

nas festas de fim-de ano

Artificío que uso

para mandar

minha mensagem

pelos ares.

----------------------------------------------------------


Ziguezague


Parei de andar em linha reta



Perdi o norte

Não encontro o que procuro


Então ando

zigue

zague

ando


Pra ver se o que eu procuro

esbarra

em

mim


FEJONES.


O blog do Fejones é:




Ou no Blog de Sete Cabeças:



3 comentários:

Robson disse...

sim mister cassio: caio ss, hoje no seu nome também, o correio publicou a BR INFINITA, já leu? compra pela net, e economize um pouco do fígado de prometeu... é bom passear por aqui...brigadoooooo!

J.F. de Souza disse...

Graaaaaaaaaaaaande Cassius! Valeu, véi! Valeu mesmo!

1[]!

Aline disse...

Fejones também é meu amigo, ainda virtual, mas é.
Quando tivermos oportunidades de boêmias paulistas eu também terei histórias dele a contar.
=D