2 de julho de 2009

A POESIA CHORA


Cheguei da escola onde leciono de manhã.
Abri o email e vi que tinha um recado no orkut
da Maria Dulce. Não me toquei de cara quem era,
mas o recado me deixou muito triste e foi um golpe
fulminante. O irmão dela, meu amigo e irmão
Rodrigo de Souza Leão passou hoje para o mundo
espiritual.
Digão que recentemente me apresentou Olga Savary
que é minha leitura para elaborar meu projeto de mestrado.
Aquela tarde no Rio, onde Ricardo Wagner, L. Rafael Nolli
e eu o entrevistamos. Rimos, aprendemos e sacamos muita
coisa de literatura e poesia.
Na minha concepção ele é o melhor poeta da sua geração.
A geração anos 90.
Seu livro Todos os cachorros são azuis está concorrendo
entre os 50 livros do prêmio Telecom Portugal.
Mano véio estou muito triste porque achei que
em breve iria no Rio pra te dar um abraço e rir com você.
Sua obra fica e fala por si só.
Rodrigo de Souza Leão é uma luz no fim do túnel na época de vacas
magras, de consumismo acelerado, de poetas que só querem ser
considerados poetas pop stars e estrelinhas.
Digão é o corte, a espada, a lança , o grito e a equilibrada
sutileza da poesia. É muito além do que críticos possam
definir.
Estou triste,mas de onde estiver sei que sua poesia vai brilhar
sempre.

9 comentários:

Nanda Assis disse...

meus sentimentos.

bjossss...

L. Rafael Nolli disse...

Cara, que foda. Fiquei triste com essa notícia.

anin disse...

Cássio, a morte sempre nos parece injusta e intrometida. Especialmente quando está tão próxima de nós.
Belo texto.

tavinho paes disse...

..É: DÓI SABER DA AUS~ENCIA PERMANENTE. MAS O CARA VAI FICAR VIVO NAS PALAVRAS DELE PARA SEMPRE

jorge vicente disse...

irmão, foi uma notícia fulminante. gostava muito da poesia dele e ainda sonhava ir ao brasil reunir vocês os três: tu, rafael nolli e o digão (e tanta gente mais)!!!

ele pertencia à mesma lista de poesia do que eu e era um dos melhores poetas de lá, apesar de não mandar assim muitos textos...

estou triste...

os meus sentimentos e um grande abraço
jorge

celia musilli disse...

Cássio, tb fico triste com a notícia, não conhecia o Rodrigo pessoalmente, fazíamos pequenos contatos por e-mail, por conta da produção dele...Ele foi embora mas deixa tanta coisa na passagem, uma vida criativa que nos ensina muito e isto é o que devemos guardar dele...Um grande beijo, muita LUZ pra vc!

Eliana Mora (El) disse...

Recebi a noticia pela Sil Guimarães; fico com tuas palavras finais.


beijo e abraço
El
[Eliana Mora]

Editora Amante das Leituras - Produção de Eventos disse...

mais uma morte a lamentar...e uma obra a imortalizar.

Maria João disse...

"(...) Digão é o corte, a espada, a lança, o grito e a equilibrada subtileza da poesia (...)"
Desejo, de todo o coração, que o seu livro "Todos os cachorros são azuis" ganhe o prémio Telecom Portugal!
José Jorge Letria disse, há pouco, no lançamento de um livro seu, que "nunca a poesia foi tão necessária como hoje. Se calhar até para nos salvar". Obrigada ao Rodrigo de Souza Leão pelo seu valioso contributo, pela obra que nos deixou...
No entanto, eu sei que "a poesia chora". E quem ama muito o Digão também... Um abraço para si, Cássio Amaral. E também para ti, Jorge Vicente.

Maria João Oliveira