18 de agosto de 2009

Pedal I

Pedalo nuvens diáfanas
em absinto de Baudelaire
no reflexo de Bashô

4 comentários:

BAR DO BARDO disse...

literbike

F. Reoli disse...

Bashô foi outro que pedalou ainda jovem pra outra esfera, mas vive assim como os grandes na poesia que deixou e que caras iluminados ainda se lembram num post qualquer de um blog.
Abração

sueli aduan disse...

pedalar, pedalar...

poesia magnífica.
abs

isaias de faria disse...

e ele sorria
porque a cada dia
um ipon se repetia.

em sua homenagem , mano. não sei fazer haicais perfeitos como os seus mas... isso é pra vc. abraços e continuamos nossa parceria.