9 de setembro de 2009


Tela de Arthur Dicrayon
aturdido no meio do caos
risco um fósforo no asfalto
e encontro um poema anômalo.
Cássio Amaral.
Do meu livro Sonnen.
O site de Arthur Dicrayon está linkado aí ao lado.

6 comentários:

nina rizzi disse...

caralho, cássio. isso tá bm demais.

Maeles Geisler disse...

é...bem anormal, mas lindo.

Abraços

Anônimo disse...

oi Cássio, seus texto são ótimos vc é bem original parabéns!!!!

tania cabeza!!

tania.cabeza.zip.net

Rosana disse...

Vc é bom D+ amigo!!!
bjosss

jorge vicente disse...

um poema anómalo, diferente, singrante, iluminado

como você!

grande abraço de luz
jorge

sueli aduan disse...

Oi Cássio,

seus poemas são mesmo demais, a mim deixa emocionada mesmo.
parabéns