14 de janeiro de 2010

Pedal Baudelaireano


pedalo Baudelaire
no voyer de pescoços
na esquina do imprevisto

2 comentários:

isaias de faria disse...

pedalemos

Robson disse...

1/15/2010
Aproveitando o tremor, vamos fazer fogo?

Vamos demonstrar nossa fantasia de solidariedade aqui também: sou solidário ao engano por puro desgosto daqueles que não nos interessa conquistar, possibilitando assim esta convivência indiferente geral, porque da arquibancada e das cadeiras pensam um futebol sentado, vamos as compras por pura performance, somos bonitos arrogantes religiosos moralistas apaixonados amorosos, e a ajuda de apagar estrelas mover os astros fazer viajar os sóis?
Não vou desconversar: Um verso negro tem mais valia morto.
O artista internacional está fazendo a sua intervenção-instalação: Corpos negros a céu aberto, o mundo todo pode interagir com suas notinhas e carinhas de tristes.
O Brasil é o único campeão até agora, em ajudar o próximo. Próximo!?!
Minha vó dizia que brincar com a desgraça alheia é muito feio, mas no nosso caso qual desgraça não é alheia?
Hora cultura de massa é sol sereno frio chuva vento e outras intempéries pra dar o tempero certo.
Não se preocupem com minha vó minúscula, ela sempre ajudava.
Está bom o tamanho?
Se a terra tremer toda, teremos um mundo solidário?
Postado por Robson