20 de outubro de 2010

Aquático

Para Maeles Geisler


A lagoa desfaz um beijo do mar


no preto que escorre do córrego

um desabrochar de água que alinhava

barro que soma uma música de temporal

nos raios relâmpagos e trovões que Stubbe late contra



A fotografia mergulha nos círculos da vida

de onde a chuva expande gotas milenares

quando comungo no seu corpo minha hóstia sagrada

purificando meus desejos



A pele redime o crime na noite que nos aniquila no tempo

26/04/2010.

5 comentários:

isaias de faria disse...

vcs dois estão dentro do mesmo círculo de luz.
abraços

BAR DO BARDO disse...

(h)aja amor

Nanda Assis disse...

maravilhoso.

bjosss...

Felipe Marques disse...

demais, transborda o apaixonante aguartela poema em amores!

abraço e té

Wilka disse...

Por isso que sempre fui sua admiradora, você continua puro e verdadeiro em seus sentimentos.
Lindo!