15 de novembro de 2010

Ar

estrangulo o tempo
motivo de vida
passagem e nada

4 comentários:

Felipe Marques disse...

Ouro de templo
poemar desassossegos
na passarela astral.

Namaste, Cassioo

Abraz.

BAR DO BARDO disse...

Turista sem câmera,
de passagem pela vida,
fotografo O Nada.

Namaste, Cássio!
Namaste, Felipe!

Í.ta** disse...

é preciso ser poeta
para estrangular o tempo.

graaande abraço!

isaias de faria disse...

ÓTIMO TUDO AQUI. MEU PC FOI PRO SACO. IREI COMPRAR OUTRO EM BREVE. ABRAÇO, GRANDE AMIGOPOETA