30 de abril de 2011

Lero-Lero com Robson Corrêa de Araújo




1-     O que é arte e o quê  ela  que representa para você?
A arte é a saída que encontrei desde cedo...

2- Como começou a produzir arte e como ela deve ser feita?

Comecei com um coqueiro de bambu e papel crepom, que foi parar
na mesa do diretor. No primeiro ano do primário. Não serve como
receita.

3- Por que a arte modifica o ser humano?

O ser humano é uma construção que não sei se será acabada,
pois tudo parece modificá-lo.

4-  Quais os livros que acha interessante? O que tem lido
atualmente?

Acho todos os livros interessantes, mas me interesso por aqueles
que atravessam no meu caminho. Ultimamente está acontecendo
comigo aquilo que sempre detestei: estou lendo vários livros ao
mesmo tempo. (LIVRO DO DESASSOSSEGO, IMAGENS
POLIFÔNICAS, ACHADOS DE ASSIS...)

5- No seu romance Br Infinita você mesclou sua trajetória com
filosofia e Semiótica, assim como no seu livro de poemas
Y SEMIÓTICO. Fale como isso se deu.

O Y SEMIÓTICO bate as vozes da cidade, no Br Infinita é bom
começar pelo posfácio, voltar no texto de apresentação e curtir a
tocada...

6- O que é fotografia e como essa arte é importante na sua vida?

Escrever com luz... álbum de figurinhas... revista em quadrinhos...
foto-novelas... meu núcleo.

7- A Filosofia tem sentido? Por quê?

Amar a sabedoria, buscar. Saber que ama, e querer...
Parece ser um sentido, sim.

8- Quais seus planos de publicação atuais?

Estou em um momento difícil, me separei de um
casamento de 35 anos, o companheiro chamava-se Trabalho...
mas, deve vir um livro por aí... uma outra coisa...

9- Robson Corrêa de Araújo em poucas palavras.

Um menino branquinho, pouco a pouco sendo manchado
pelo sol...

O blog de Robson Corrêa de Araújo está linkado
aí à direita, ou no:

http://punctumstudium.blogspot.com/



2 comentários:

isaias de faria disse...

belo lero e constructivodescontruindo...

Humberto Fonseca disse...

bombaços e voadoras... "é preciso abrir a caixa de pandoora"...