13 de maio de 2011

UMA ÂNCORA ALÉM ISMO

Foto: Robson Corrêa de Araújo


arranco flores no asfalto




ode à Dante Alighieri



par do tempo que furo no espaço



um brinde no olhar



do universo



o buraco negro escancara



o dito e feito o fido dito



Pink Floyd desmorona muro



que a gargalhada da noite



desfaz num risco



areia da ampulheta



quebra o nó do tempo



paradoxo é luxo



que UP FULL



de um golpe bate



no peito do paradigma



a janela é secreta



mas hoje ela é indiscreta


abra o site das estrelas



porque a lua urra



as nossas imperfeições



muito além do sal



que navego nesse mar.


11/05/2011

Um comentário:

isaias de faria disse...

é honra estar aqui no seu espaço. certa parte do seu poema, que por sinal curti demais, me lembrou o leminski nessa frase: "guerra é assunto importante demais para ser deixado na mão dos generais"
abraço de quem é seu admirador poor completo.