26 de março de 2007

POEMAS DE BASHÔ











I

O velho tanque -
Uma rã mergulha,
barulho de água.


II


Lago vetusto:

A rã se lança n'água

Com estrépito!


III


Em pleno luar,

Ao duplo salto de um sapo,

Seguiu-se um desmaio.

IV


Velho tanque abandonado ao silêncio...

lança-se a rã num mergulho:

quase inaudível som da água.
V
Primavera não nos deixe
Pássaros choram lágrimas
no olho do peixe
(Matsuo Bashô)

2 comentários:

Analuka disse...

Muito bom teu novo espaço, amigo Cássio!... O poema tem algo de nostálgico, sob a película de melancolia que cobre a água do tanque, a pele do sapo... o mergulho, outros mundos, as buscas mais do que humanas... abraços, amigo.

Luzzsh disse...

Uia.... :)

Gostei muito!

Beijos...