11 de dezembro de 2007

Amplidão




Para Sergio Sampaio







Nuvens cortam o tempo

O risco é vida

O disco é momento

A música é sentimento

O imprevisto do sol

Comunga em nuvens além

O visto é além daquilo que se vê

O imprevisto é amor que se tem

A vida é além de tudo um risco

Arrisco no imprevisto dos versos

Melodia de um momento

Dia do relampago que afaga sentimento

Cássio Amaral

Outro dia Joel Macedo me aplicou a comuna do Sergio Sampaio, o qual admiro muito. Grande compositor da música brasileira e grande poeta.
Mandei esses versos de bate pronto, sem pensar muito. Na verdade tinha escrito outros versos pra um letra em homenagem a ele. Na hora de publicar na comuna dele no orkut perdi. Aí fiz estes acima. Conversando com o Edu, meu brother de São Gotardo falamos em fazer desses versos uma canção. Foi assim que rolou estes versos. Quando Edu musicar dou um sinal a todos.
O blog do Sergio Sampaio está linkado aí do lado.
E a comuna do orkut é:
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=158508

8 comentários:

Robson Corrêa de Araújo disse...

"eu quero é botar meu bloco na rua...": aceito a proposta, e prometo levar o melhor de mim, pode marcar...obrigado. te espero a qualquer momento.

sandra camurça disse...

Oi, menino,
Belos versos.
Grata pelos comentários lá no refúgio.
Um beijo.

Analuka disse...

Gostei da letra, Cássio, agora fico curiosa para ouvir/saber da música inteira, com melodia! Ficarei alerta. Beijos alados.

lowcura - Rodrigo de Souza Leão disse...

legal. bacana.

L. Rafael Nolli disse...

Saindo a música eu quero ouvir!

Eduardo Ribeiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eduardo Ribeiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eduardo Ribeiro disse...

O Bloco (Ao amigo Sérgio Sampaio)


Pobre rapaz
de olhos fundos e muitos ideais
já não se faz
aqueles olhos brilhantes mais

Doido rapaz
eu sei que já sabe dos dias contatos
e no nascituro já sentenciado
deita e dorme menino, e vai

Ouça rapaz
te digo: As pessoas são os nossos problemas
que julgam inferno as noites boêmias
e o seu coração de vidro quebrou

A marca no nosso rosto
é do seu beijo, rapaz.
Não apague as luzes
pois a morte é certa.

Nossas idéias: As mesmas.
Nosso coração também já é outro.



O Tal Sérgio é uma droga.

Vicei.

Abraços meu irmão.