27 de fevereiro de 2008

HAI VAGANTES CÃES

vago a nau verga
perdido no mar
veleiros navegam devaneios


cachorros vagam na rua
o improviso diz na esquina
que latidos traduzem sentimentos



vagabundos iluminados contemplam
a lua desfarelada no céu
mel misturado com o gozo scarlate de uma estrela



canto um canto no canto
fico pasmo Hilda Hilst me acena
na lua prostituta bela no céu.

3 comentários:

SAMANTHA ABREU disse...

Gostei...
um lírico-não-lírico...
Gostei.


Beijos, Cássio!

nathalie disse...

vagabundos iluminados...
nome dum livro do kerouac.
me lembro do bar, sim
"todos os cachorros são azuis"

Rogério Saraiva disse...

Como já diziam...

navegar é preciso, viver não é