29 de maio de 2008

SOBRE O INFINITO


Foto de Samantha Abreu
Minha imperfeição são estrelas caídas de Netuno
Revolução Industrial que atinge quarta fase
American way of life
Tvs, Ipoids, Marte quase explorada
Doutrina Monroe
Cabaço arrancado à força da América
NOVA ORDEM MUNDIAL
Ricos 10 X Pobres 0
A Mesa Voadora grita lombrigas
Que adubaram a terra no próximo enterro
Discos, ó discos voadores!
Os astros estão para constelar
A madrugada fria silencia a Neoliberalismo
O Mal das Flores que adoecem
Há um sinal, estrela desconhecida ainda
Há um sinal nos buracos negros do sol
Lexmark pra imprimir a ruptura da essência humana
Sinestesia que o bom senso despreza
Tomie Ohtake nos cinéticos que estão no caminho da margem
Eusébio Sempere me explica a lei da boa forma social?
Global tudo aldeia, índios nas cabanas abandonadas pelo descaso
Corações verdes levitam um coração vermelho
*Sobre o Infinito Sapeca a página 49:
BÚRQUIO – Aqueles que são divinos, estes são de vil matéria.
FRACASTÓRIO: De que maneira me fará ver e acreditar que aqueles sejam
mais divinos?
BÚRQUIO- Porque aqueles são impassíveis, inalteráveis e eternos, e estes
aqui são o contrário; aqueles são móveis de movimento circular e perfeitíssimos,
estes, de movimento reto.
* Os pensadores – Bruno (Giordano Bruno) , página 49

4 comentários:

Rodrigo HM disse...

Cassio, tudo bom? Obrigado por ter visitado o Dissertando sobre cinema, valew pelo comentário feito, a sua opinião é muito importante para nós. Valew por ter linkado a gente, vou linkar o seu blog imediatamente, que por sinal gostei bastante! Abraço.

SAMANTHA ABREU disse...

puxa, que delicia de ler...
e lembrar dessa foto, e lembrar de tudo.
Quando tudo foi tão... infinito!

Um beiJO!

Linda Graal disse...

lembrou-me Paralelas do Belchior, acho que a história do infinito...rss

bom texto, mocinho!

um prazer estar aqui...

beijinhos

cris destri disse...

Cãooo, meeeuuu, que infinito paralelo transcende deste momento único, lúdico e verdadeiro...
Como sempre por aqui, constelações que clareiam e iluminam nosso coração. Lindo!
Beijo grande, Cris