19 de julho de 2008

Tela de Modigliani
POEMA PARA
tua boca, quente e aveludada,
acaricia o meu sexo.
língua-prazer
língua-paixão
língua pásargada
gesto que me doidice
enquanto, lusco e fusco,
navego em teus horizontes mais íntimos
para te lamber
todatodinha
até que sejamos
(sonhos e crepúsculos)
uma só pele
um só tato
um só gemido
na noite espanto de novembro.
Moacy Cirne
[in Cinema Pax, 1983]
O blog do Moacyr (Balaio Porreta) está linkado aí ao lado, ou no:




4 comentários:

Moacy Cirne disse...

Pô, cara, muito obrigado. Valeu!!! Um abraço.

Iosif Landau disse...

tudo perfeito poema e tela
Modigliani é gênio

Nanda Assis. disse...

urruuu, bem afensivo, atrevido e selvagem. mesmo sendo de outro o poema, se postou é pq se sente assim, adorei! todo cheio de instintos.
boa semana.
bjosss...

Layla Lauar disse...

belo poema e linda a tela do Modigliani..como disse o Iosif...perfeito seu post...
Parabéns ao Poeta Moacy Cirnee e parabéns a você pela postagem.

E.. meu querido..muito lindo o poeoma que você deixou lá no meu blog...amei! e você é sim um mensageiro de boas novas...

Obrigada! beijos todos e + um especial.