23 de dezembro de 2008

DOSSIÊ ROBSON CORRÊA DE ARAÚJO


Robson Corrêa de Araújo é um fotógrafo. Fotografia quer dizer
escrever com luz. É isso que Robson faz, seja na fotografia,
seja na filosofia, seja na poesia ou no romance.
Recentemente lançou seu romance BR INFINITA pela Iluminuras.
Robson é um pensador fenomenológo, é um cara ímpar.
Cinco minutos de papo com ele e você já percebe que é um filósofo nato,
um cara gente boa, humano e humanista.

Alguns poemas aí do Robson:


BLUES

Amora balança
Cai dentro
Esmaga fruto garganta
Hemácia
Isto junto Ku-Klux-Klan,
Lábia
Moiriza, nutre
Oba
Poeta quibungo
Revise sintagma
Tá, uso verso watt - metro
xiririca y zuarte

-------------------------------------------------

NA MOITA

No bar cair dormir
Estante
Furto gole homérico
Inferno
Juramento, Kant lição
Morte
Noite ou pirar, querer rua
Sumir,
tombar uva, vinho
Wad
Xá, y Zamboada...
--------------------------------------------------

INICIAÇÃO

Arteiro, bobagem criança
Desvio
É estilingue finca
Goma
Hálito, imã, janela
Kaiser
Menino namorando
Onde prima quis rabicho
Sob tábua urgente
Vira Whist
Xairel y zelo...
-----------------------------------------------------------
MARCIANO

Atleta bamba combina
Distância
Estilo
Façanha
Golpe
Himildade inverno
Jacarandá
Kantismo
Laila maior
Nuança olímpica
Parte quão rijo sacerdote
Tem unicidade
Voa windsurfe
Xogum y zum

Poemas do livro Y SEMIÓTICO

O blog do Robson está linkado aí ao lado, ou no:

http://punctumstudium.blogspot.com/

3 comentários:

maicknuclear disse...

Raw

Flávio Otávio Ferreira disse...

muito bom tudo aqui!!!

nosbor.araujo disse...

OLHA DE NOVO NO Y OS POEMAS UM POR UM CRIASTE OUTROS...MAS MESMO ASSIM MUITO GRATO PELA PREFERÊNCIA!
OBRIGADO MANO!