25 de novembro de 2009

CONCESSÃO


O coice do tempo
Refratário além do ritmo:
nascer, crescer, reproduzir e morrer.

A luz na sombra
o grito no silêncio
tradução do servo
significante do signo
um pleonasmo na boca
canto prosa no conto diário
que a crônica fabrica

3 comentários:

Maeles geisler disse...

dias de incensos
incendem
seus poemas

Beijos
Maeles

Nanda Assis disse...

eu sou de cancer rs, e vc.

bjosss...

Felipe Marques disse...

opa mestre.

...vc q é um fera em dez ou três versos...

sopeia a poesia no sapoie.blogspot.com

entra lá,
abração