22 de dezembro de 2009

DÊ UM POETA DE PRESENTE



Ainda tenho 40 exemplares do meu livro Sonnen que lancei

este ano.

Se alguém estiver afim de adquirir é só me enviar um

email: camal567@gmail.com

O livro é R$15,00 já com postagem.

Alguns poemas aí do Sonnen:


A MORTE DO POETA

O poeta morreu
Balbuciando formigas em seus versos
Ficou obcecado por metáforas
Cuspiu pleonasmos pretéritos

O poeta morreu
Tentando achar seu caminho
Disse imperfeições nas metonímias
Atirou-se do nono andar

O poeta morreu tentando desmontar a bomba atômica
Depois de ter punhetado Descartes buscando a verdade ao contrário
Verter-se em Paganini tocando seu violino diabólico
Esvoaçando flores carcomidas por aliterações fingidas

O poeta morreu
Nos precipícios lunáticos de toda a imperfeição
Uivando diante do absurdo da sua própria voz
Silenciada no êxtase da loucura.

___________________________________________________

METAFÍSICA DOS COIOTES I
.

Rasgo o trago do imprevisto
que distrai o tempo que passa rápido.
Canto o cântico dos malditos que me cai.
Tudo vaza, tudo explode.
A noite é lenta quando lírios conspiram
contra a sorte perdida.
Lâminas que a incerteza jura fatiar para a salada
de nepotismo barato e regular da gargalhada da noite.
Bebo as estrelas virgens,
Como os meteoros platônicos,
latindo, uivando pra lua prostituta
que cavalga numa nuvem
o sexo santo dos devassos.
____________________________________________


HAI-CÃES UIVANTES

UM TROVÃO INSTIGA O UIVO
A NOITE CAI EM MOSAICO
NO VERSO LATIDO DE UM PÁRIA


tirar leite das pedras
pisar na velocidade da luz
extrair a raiz sisuda do futuro.


CATADOR

catando palavras
desvirginando a métrica
endoidando a sintaxe.




LOUCO LOCUS LOGO

ZEN ZERADO ZEBRADO

PÓLEN POEMA FALADO



endoidar as metáforas
para comê-las com hipérboles
safadas e ávidas de metalinguagem



urro desatento de Michel Foucault
na lua negra
ponto G no êxtase das estrelas


BASHÔ SUPRASSUREAL

flores piscam raios de setembro
vermelho diz a direção
quando a tela é o sol nascente

5 comentários:

Henrique Pimenta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Henrique Pimenta disse...

Eu li - e recomendo: excelente!

- Henrique Pimenta

isaias de faria disse...

isso é um presente!

Neuzza Pinhero disse...

salve, poeta arretado!
Vamos fazendo!

um abraço e vida longa!

Neuzza Pinhero disse...

passei balbuciando uns vagalumes
pisei devagar na velocidade da luz
e vou ficando
sonhos bons,saúde e poesia sempre