7 de abril de 2010

NAVEGAÇÃO


Um tiro na noite
Espelho de um tapa olho
De um pirata de pau
O navio desagua no horizonte
Farejo ondas abissais
Trovoada no mar da Linguística
Além do Cabo das Tormentas
Desembarco nos Açores
E finco minha Minas nesse vento sul

3 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Viajando pelo éter...

Flávio Otávio Ferreira disse...

Leva Minas ao vento!!!

jorge vicente disse...

saudades dessa minas que é
tua e de toda a humanidade
que sai de ti.

grande abraço, irmão!

E que seja de luz Plena!

Jorge