12 de maio de 2010

PORTA

Descarte o Descartes?
Proudhon o Poder?
Marx a mais valia?
A nuvem o verso?
Hendrix a Guitarra?
Garrincha o drible?
Voltaire a volta?
Sartre sabe da nossa existência?
Nietzsche a Fenomenologia?
A borboleta abre a porta?
Se você é Pessoa entre!
Hermes três vezes grande
no infinito da nossa passagem.




5 comentários:

Esyath disse...

Excelente trocadilho...

Me fez pensar que os rótulos fazem parte de nossas vidas, os associamos aos fatos e isso nos ajuda a nos identificarmos... Gandhi era santo, Sades o sádico, Maquiavel o insensível... e a Xuxa? Bem... ela vê duendes... Seria ela "duente"? rsrsrsrs

Beijos (Des)conexos!

P.S.: Sei que é doente e não "duente"... rsrs

[ rod ] ® disse...

Simbologias à parte nunca se diz o quanto das vertentes um poeta suporta... e haja motivos! Abs meu caro.

RosanAzul disse...

Enfim te encontrei amigo!`
Parabéns pelo blog! Está especial!
Vou voltar pra ler mais e com mais calma! parabéns e muito sucesso!
Abraços de paz e luz!
Ro

isaias de faria disse...

mano vehoo, saudades demais de ti !!!!!!!!!!se vier em araxa vem aqui tambem.
poemas tudo bom e lindo seu blogspot.
um também p seu poema com os craques deste post :

freud descobre
está bem escondidinho
mas ele descobre



cosidero o freud uma das cabeças mais brilhantes do sec XX

douglas D. disse...

olá, cássio! obrigado pelo que vc escreveu lá no blog. obrigado mesmo. meu e-mail é douglasdc_dias@hotmail.com. atualmente moro em sp, cursando pós na unicamp.