24 de maio de 2011

Da ponte pencil


As reticências deslocam do vazio
para o sombrear dos ecos do tempo.
O hiato criativo não pare versos canônicos.
A sociedade é só além de idade.
Um por um além de um somos todos.
A dicção do tema é Educação.
Mas prosa e romance falam além
das minúsculas falácias que o dedo
do autor quer contextualizar.
Não coloquei vírgula em cima,
nem quero coloca-la embaixo.
Debaixo da lagoa há siri,
tentei pescar um peixe outro dia,
mas o barro dominou o silêncio
sem fisgar o robalo, ou tainha,
ou qualquer outro peixe daqui
do litoral de Santa Catarina.
Verde incorpora um casal de pombos
que ainda renunciam ao título de poetas.
Sim, a água dá margem de vida.
O tempo é água dos séculos.
A água é oceano do corpo.
Líquido transcendo átimo
nos átomos que nos desaguam.

4 comentários:

Robson disse...

5/25/2011

Quando vai ser a próxima aula?

Nunca pensei ser o estranho do lugar, chegava sempre na minha ficava de bobeira sem tomar a iniciativa ou só tomo ainda quando preciso falar sobre o imaginário local perguntar sobre o óbvio e obter a substância em cada pausa da palavra lendo imagens olhos pele jeito liberdade do corpo traços semióticos código de barra listra preta lista branca espaços que contam em espanhol Contador nas montanhas do Giro os dentes do cavalo pois se vou comprar ou pagar caro e não levar é questão resolvida no primeiro clic automático instantâneo instante de caça e caçador, uma vez registrada a sena vou me tornando invisível predador aquele que vai dar sem precisar tomar um dos nossos ou um trouxa louco fraco insignificante corredor de fundo estivador lenhador retardado débil mental que não quer nada pode dar lucro servir de laranja ou suco de maracujá de gaveta que tipo é este saiu de onde é o padre o delegado o advogado ou seria o boleiro do lugar um velho conhecido de todos que volta e está tomando a primeira antes do bang bang ser tomado de assalto e saber ficar nu na hora certa quando cai a ficha no dedo volta ao bolso mostra isca e sugere bom bocado vai ser muito bom côa peneira difusa para os olhos ganharem algo instigante: ele vai querer entender antes do primeiro bote.

L. Rafael Nolli disse...

Cássio, lugar lindo!
Gosto muito de água - rio lagoa, mar. São paisagem que falam comigo de forma diferente.
Abraços!

Robson disse...

Meu pelotão para o Giro 2011

O cara do gas acaba de ser denunciado reconhecido lambido pulado festejado sujado por Lance & Naomi, porque não começar por onde interrompia ? Enquanto tento começar, sou interrompido por ação dos cães com o homem do gás convidando todos nos arredores de casa a também receberem o produto energético em suas cozinhas, ou ver como se recebe com graça. Levanto olho no corte em pirâmide preto pano estendido sobre os alisares de ipê dependurada cortina improvisada Saveiro roxa com listra prata o carro do pingüim volto pra bat caverna batman vai precisar de mim para escrever este texto de hoje postado direto da toca do monge da residência oficial casa de robin onde os pássaros acordam pela manhã cantando a ração colocada com a cuia sobre o comedouro azul claro de plástico preso por arame amarrado no pau do telhado por minha distinta banza o ratão dos Ribeiros arataca que os pássaros por saberem que foi de boa intenção comem disputam cantam e acasalam nas nossas cercanias ao nosso redor dançam dança de roda ciranda do inferno ao céu : Saci.

Záia disse...

Parabéns pelo blog.Li o livro de haikai, parabéns. Vou passar outras vezes por aqui.

abraço