21 de maio de 2011

É aquela coisa

( Meu amigo Tonhão maratonista aqui de Barra Velha treinando)

Corremos atrás do tempo?
Ou o tempo corre atrás de nós?
Vinte e quatro horas agora são dezesseis horas?
O relógio marca o tempo?
Ou o tempo marca os relógios?
Time tempo tiene uma força dos acontecimentos?
O que há de tempo na verdade?
A verdade tem tempo?
As palavras têm tempo?
O bom escritor não curte o tempo?
Ou o tempo não curte o bom escritor?
O ego também tem tempo?
Egozinho ou egozão é gozação
pós tempo?
Contexto é texto no com
do tempo de amanho
da precisão da lucidez
do cerne que um bom tiro
dá nas palavras?
Vamos correr atrás do lúdico?
Sol ainda raia atrás da ponte
do imprevisto.

2 comentários:

isaias de faria disse...

explêndido poema!

Fabrício Brandão disse...

Em meio ao turbilhão, nunca é demais buscar a serenidade contida nos dias. Doses necessárias das paisagens lúdicas são mais do que precisas.

Abraços, querido!