7 de maio de 2008

NUCLEAR


O brother Maick NucleaR já começou a produzir seus curta- metragens.
Podem conferir no:
Os textos de NucleaR vocês podem ler no:
E algumas músicas dele no:

2 comentários:

nosbor.araujo disse...

Robson:
5/07/2008
o nome da obra



WAGNER BARJA
AKD-MICO

(1986)

Roland Campos, em seus "Instantâneos da poesia visual brasileira" faz uma leitura de AKD-MICO, que ele considera um poema-rébus perfeito, uma instalação que critica ferinamente o establishment artístico ao colocar, atrás de um vidro, bananas formando as letras AKD e, junto a elas, um mico que as devora e desorganiza, deformando o modelo estabelecido. E Sarja ri do próprio incômodo que cria, ao colocar atrás de outro vidro, um segundo mico, comendo por sua vez as banana-letras POLE, carnavalizando a própria polêmica ao criar esta obranome que filia Barja "à estirpe da poesia visual em que a carga e significados é aportada por meio de um conluio do verbal com o não-verbal. No caso, com acréscimos de ironia". ÁLVARO FALEIROS

A concretude (e a efemeridade) das letras:

A idéia de "comer" idéias nos pertence desde que, no início do século XX, metaforizou-se o costume nativo da antropofagia, à época do descobrimento do novo mundo: comemos gente, comemos cu

MaicknucleaR disse...

cara, eu sou mó gato, pena que essaa foto é zuada kkkkk
(os feios unidos jamais serão bonitos kkk)
abrax