21 de dezembro de 2010

Poeta Azul

Para o amigo Rodrigo de Souza Leão

De onde o sol
Degradê Degradável
Suando imperfeições no silêncio
Canibais sortilégios saúdam
Maçãs no front explodem
Toquem trombetas verdes
                   Anunciação
A nave mãe chegará
                Palavra por palavra
                    Fede
                       Foda

20/12/2010.

3 comentários:

BAR DO BARDO disse...

gr
eat

Neuzza Pinhero disse...

fedra
katsudatsu
phrodas
e aquele natal encarniçado
grande abraço

Flávio Otávio Ferreira disse...

camarada...estou lendo esse livro! Fascinado!