30 de novembro de 2009

Platão acena a caverna
mas a poesia morta no chão
apenas sente o sol queimar
devaneios pretéritos
Do meu livro Lua Insana Sol Demente -
Versão em pdf -2008.


29 de novembro de 2009

canino

blog
dog
dog
blog
blog
dog
dog
blog
blog
dog
dog
blog
Dubando o desconexo
Adube o materialismo
Duble a Ética
Faça o Lobby corretamente
Não se assuste!
Na Câmara dos Deputados
A deputaiada gastou milhões em reformas do prédio
e te roubam corretamente
Não olhe o mendigo te pedindo esmola na porta
da padaria
Entre no carro logo, coloque os óculos escuros
e se sinta o fodão
Não grile com notícias diárias
É tudo normal!
Matar, roubar, traficar e enganar
Dê aleluias e abençõe o mensalão,
o cuecão e o dizimão
Não ligue para tolices altruístas, nem para
o humanismo, nem para a fraternidade
Sejamos modernos!
Não esqueça de pagar o financiamento do AP
em Dubai
A crise Árabe diz bom dia!
Enjaule-se em casa
Ligue o som
A música que toca é o vazio ideológico
do OMEM

27 de novembro de 2009

vou para marte
lá serei um ET
e a poesia estará em toda parte

Situação educacional

O professor tem o bolso furado.

26 de novembro de 2009

NAVEGAÇÃO

evitar a fatiga do texto
explodir o contexto
singrado de signos

25 de novembro de 2009

CONCESSÃO


O coice do tempo
Refratário além do ritmo:
nascer, crescer, reproduzir e morrer.

A luz na sombra
o grito no silêncio
tradução do servo
significante do signo
um pleonasmo na boca
canto prosa no conto diário
que a crônica fabrica

Pretérito


os poetas mortos
falam
nos versos vivos

PAPIRO


Escriba
nu
signo
palavra
faísca
gesto
fica
condiz
significado
aprendiz
pirâmide
decifro

24 de novembro de 2009

CHAME A NAVE MÃE


Não entendo o Umano
Não desmancho a falsidade
dos outros
Não acabo com a injustiça
Há diários sobre a mesa
Os alunos estão no vão das coisas
vãs
Onde os meus versos se esconderam?
Que tolice versos!
A poesia está morta
O mundo é cruel
Sérgio Sampaio tem uma música "Cruel"
Quero botar meu blog na rua
Minha mulher diz que preciso "limar" meus textos
As cruzes estão do meu lado
O cemitério na frente
As fotos estão esperando o tempo exato
As lápides tatuadas na trajetória
Sim, o ano está no the end
Viva os diários que ainda tenho pra preencher
Alguém me serve um café por favor?
Quebrei um dente ontem, ou é só tártaro
Há escorpiões por aí o leão também quer te pegar!
Baby, me diz onde está minha bicicleta
Pinto flores cogumelos em deuses satíricos
Quando a nave mãe me abdusir

Pereskia aculeata - ora-pro-nobis

todo inocência
perdoada
pecado de menino

23 de novembro de 2009

faísca


clico dois
versos
no reverso do instante

20 de novembro de 2009

19 de novembro de 2009

Fotos do Santuário da Igreja Messiânica Mundial-Solo Sagrado do Brasil - Guarapiranga São Paulo

Alex Kalder
cintila
uma flor no ar

IKEBANA MÓBILE KALDER

vivificar a flor no ar
link
de Alex Kalder

CALMARIA

reflexo da paz
cascata
zen traz

Cerimônia do chá (CHADÔ-SADÔ)


vontade de altruísmo
encontro de amizade
na luz da hospitalidade

Preparação

chá no fogo
gratidão
pela amizade

GRATIDÃO

respeito pela amizade
hospitalidade de olhos fechados
na clareza da bondade

KANNON


Sho Kannon
na amplidão
da luz

ILLUMINATE


faísco fagulha
resisto
sol insisto

Portal

pedra & pedras
além faísca
momento degrau

HORTENSIA

lilás no tempo
passagem no espaço
que caminha no vento

18 de novembro de 2009

BANQUETE

O pão da Santa Ceia
servido com o vinho
no pó do nosso descaso

AQUE XIOMAS GLOBAIS

I

chove nosso materialismo.

II

chove nosso egoísmo.

III

venta o desastre do nosso ego.

IV

o capital nos deixou terroristas.

V

o calor nos engaiolou no suor da exploração.

VI

o Homem virou Omem.

VII

O Humano virou Umano.


VIII

morros de BH
baixada fluminense
tudo de baixo d'água.

IX

cidades
submergem
no apagão do presente.

X

2012

profecia
reflexo
do alinhamento

17 de novembro de 2009

JAZZ

Foto Isaias de Faria


Para Isaias de Faria
música quebrada
estilhaços de som
improviso que golpeia

16 de novembro de 2009

FOTOS DO AMIGO WELLINGTON DE BH

Essa foto e as abaixo são do amigo Wellington de BH.
Wellington é um cara formidável,que tem muita alma
e essência.

passageiro do tempo
nu vejo
além

ATITUDE

Para Wellington Ferreira da Silva
sem medo a baqueta
chama o tom
nos berços de Proudhon
tarde que finda
um sol no sonho
que nos faísca

LINCE


além do olhar
a visão
permanece

PUNKADA

De Sex Pistols, The Clash
a Ramones
I'm a punk rocker

IGUAIS

do pó ao pó
leio Gregório de Matos na porta do cemitério
das paineiras:
" LEMBRA-TE QUE ÉS PÓ"
surra na guitarra
roda da atitude
na cara do anarquismo
visão da noite
fila do além
sangue que pulsa vida

15 de novembro de 2009

SANTA CEIA

(Escultura de Erwin Teichmann)

sirvo o pão ao pó
passageiro do tempo
no fragmento translúcido:
a luz clareira
Eu e João (Filho do escultor Erwin Teichmann) - Pomerode - SC.

TRIBO

Museu do escultor (Erwin Teichmann) Pomerode-SC
minha oca
transcende o tempo
na fogueira dos séculos

13 de novembro de 2009

CONTRADITÓRIO

a palavra está nos meus erros
meus erros estão nas palavras
quando explodo a esmo

11 de novembro de 2009

RAREFEITO

O hipertexto pergunta ao
miniconto
sobre a fábula
quando o romance faz pose
para a fotografia no livro
a prosa fala tanto
que o poema grita mais alto
para a poesia na
música que escuto

NARCISO

blogue
é ego
que não dorme

10 de novembro de 2009

CHUVINSKIS

I

nuvens furam
chuva forte
pingos pulam

II

asfalto formado
assalto da chuva
tarde molhada

III

pingos leves
aumentam na chuva
vontade de frio

IV

pingos gritam
chuva aumenta
o sonho da tarde

V

cinco nuvens
cinco pingos
cinco chuvas: um abrigo

8 de novembro de 2009

(foto do meu celular de uns dois anos atrás )
rabisco insisto
palavra faísca
fagulha risco

à vontade

entre na música e vá alem
ontem rodrigo, arnilton, kedo,
eu, maeles, ivaninha,
vimos, e assistimos o show à vontade
de tarcísio moura e banda no palco
do sesi -araxá.
em outro lugar chegamos num som
de primeira,algo que faz levitar
composições de um cara ímpar
na estirpe das almas grandes , essência de vida
sou suspeito de falar do cd e da música de
tarcísio.

gosto muito dessa música aí embaixo:

EM OUTRO LUGAR
Carlinhos Carvalho e Tarcísio Moura

Quem me dera um momento
Quem me dera que mais
Que a força pusesse
A salvo a paz

Que a vida escutasse
Que o tempo parasse
Que a raiva passasse
Depressa demais


Poderíamos ver a beleza do som
Que os olhos não podem
mais perceber
Que os pêlos dos braços
fossem antenas
Captassem as ondas o bem querer

Que seria pudesse , sempre houvesse
Que durasse para sempre
este raro sabor
Que o sol se pudesse
sempre no norte
Misturasse gelado neste calor
Que me dessem assim
Todas as chances
De poder, te encontrar
Em outro lugar, bem distante
De tudo...

7 de novembro de 2009

No lance de Nelson Rodrigues ( A vida como ela é)

Os mimadinhos juntaram os trapos.
Moram em frente ao Cemitério das Paineiras,
onde os escorpiões fazem a função poética
da cidade.

PREFERÊNCIA FEMININA


É dos carecas que elas gostam mais.

6 de novembro de 2009

DIGÃO CADÊ VOCÊ MEU IRMÃO? SAUDADE SUA MANO VÉIO!


Rodrigo de Souza Leão faria 44 anos ante ontem dia 04 de novembro,
mesmo dia que minha mãe faz aniversário.
Digão era e é um amigo muito querido meu. Irmão mesmo.
Sua passagem foi dia 1º de julho deste ano para o mundo espiritual.
Nós o entrevistamos (eu, Ricardo Wagner e Rafael Nolli) em 2007 no
Rio. Eu tinha planos de voltar ao Rio para revê-lo e falar com ele.
Velho, que saudade que sinto sua meu brother.
Alguns poemas do Digão aí embaixo:
O mendigo.
As nuvens flutuam nos olhos do anjo
Alguém sabe que ela esbanja crepúsculos
Também o antipoder de conter a si em asas
E mascar as auréolas da realidade nua
.
Às vezes ela freia a bondade que esbanja
Para tocar a sua flauta divina em âmago
Ela só pode ser o que ele foi e é
E foi bom, pois naturalmente era assim:
.
Nem todos os anjos são bondosos
E a bondade pode ser uma praia nua
Ou uma mulher tão vazia quanto eu
Eu apenas fui bom como eu sou
.
Mas a bondade não é genética
Saber que meu filho pode cuspir na cruz
É o que me apavora muito mais
Do que a falta do dólar para o lanche
VIDA.
A mim foi negado tudo.
Até o absurdo.
RODRIGO DE SOUZA LEÃO

4 de novembro de 2009

ALUADOS

ENLUARADA
Lua amarela
rasga a noite
singela
PÓS FERIADO
dia findado
flores reverenciam
pessoas finadas
TERÇA SEGUNDAL NA QUARTA
ressaca do dia
passado em três versos
no terceiro dia
ANTICONCEPTIVO
amarre a camisinha
nas trompas da balada
no pingo da vida.
03/11/2009

2 de novembro de 2009

TRAJETÓRIA

fico no signo
na explosão da palavra
significante da vida